Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks

Adolescentes “fazem arte” com a reutilização de materiais e ajudam na preservação do meio ambiente

Oficina ministrada no CVA alia criatividade e responsabilidade socioambiental.

Dados da Prefeitura de Curitiba apontam que diariamente cada morador da capital descarta, em média, um quilo de resíduos, o que faz com que a cidade produza diariamente 1,8 mil tonelada de lixo. Um terço disso – cerca de 600 toneladas – são de materiais que podem ser reciclados ou reaproveitados.

Além do custo financeiro para coletar e destinar corretamente esses resíduos, existe também um custo para a natureza: quanto maior for a produção de lixo, maior são os danos causados ao meio ambiente. Diminuir o volume de lixo é um hábito cada vez mais urgente e necessário.

Atenta a essa realidade, a Fundação Solidariedade desenvolve desde 2011 no Centro Volvo Ambiental (CVA) oficinas de artesanato com foco no reaproveitamento de materiais descartáveis. “Praticamente 90% do que fazemos aqui utiliza como base materiais reciclados”, relata Cláudio Belmudes, artesão que ministra as oficinas.

A novidade fica por conta de uma nova turma, aberta em 2014, que tem como público-alvo crianças e adolescentes com idades entre 8 e 17 anos que estão usando a criatividade para dar nova vida a objetos. “Caixa de leite, papelão, garrafas de vidro, madeiras, tudo que seria lixo nós transformamos por meio da arte em objetos utilitários ou decorativos”, afirma Belmudes.

O adolescente Jezrrel Pedroso, de 12 anos, está empolgado com a oficina e consciente da importância do trabalho que vem desenvolvendo. “A gente reaproveita materiais que muitas vezes seriam descartados nos rios”, orgulha-se. As oficinas de artesanato integram o Plano Anual de Atividades, patrocinado pela Volvo do Brasil e realizado pela Fundação Solidariedade e Ministério da Cultura.